segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Dilma mente. Brasil ganha.

Dilma se tornou a maior mentirosa da história desse país, passando até Lula. Quem ganha com isso? O país todo! Como mencionei anteriormente no blog, o povo teve um debate ao seu nível. Pouca macroeconomia, mais baixaria; pouco debate sobre os problemas dos próximos anos; mais propostas de política de pão e circo. O primeiro grande feito da presidente foi tirar do ar a audiência de Lula. Acordar de manhã e não ter que ver as bobanges ditas pelo ex-presidente é aliviante. Segundo, Dilma está mostrando ser a primeira pessoa filiada ao PT que entende de economia, conseguindo até fazer o Ministro Mantega frequentar algumas aulas e compor pronunciamentos coerentes.

O governo Lula tomou medidas claramente políticas, visando apenas agregar aliados embaixo dos braços do monstro federal e enaltecer o ego do presidente. Aumentos gigantescos de gastos públicos pressionaram a inflação, a qual teve que ser contida com juros estratosféricos. Quem sofreu foi o dólar, que levou junto com sua soberania indústrias de sapato e de brinquedos sem condição de competir com os importados. O abacaxi, claro, foi deixado para o governo seguinte.

Dilma tem sido competente em arrumar a bagunça de Lula e montar um planejamento de crescimento econômico sustentável. O salário mínimo apenas seguirá a inflação, os juros subiram temporariamente visando contes o aumento dos preços e cortes no orçamento já foram prometidos. O problema hoje é o PMDB, que impossibilitado de mamar no Estado devido aos cortes de gastos e limitações de cargos, pode bloquear o Congresso caso decidam boicotar o governo. Outra dúvida é sobre o presidente Lula. Teria ele escolhido Dilma por esta ter condições de consertar a casa ou o ex-sindicalista está desapontado com a independência de sua sucessora e poderá atrapalhar seu trabalho?

Apenas o tempo dirá algumas dessas verdades. Talvez eu mesmo esteja sofrendo encantamentos da chamada “lua-de-mel dos 100 primeiros dias”. Claro que a postura estatizante de Dilma não seria boa para o Brasil no futuro mas, por hora, parece-me que o Palácio da Alvorada está sendo ocupado por alguém mais profissional que antes.